Loading...

TANCREDO JÁ ESTAVA MORTO

>> domingo, 22 de abril de 2012

  Neste 21 de abril Lívio pôs-se a olhar pela bilionésima vez a clássica foto de Tancredo Neves tirada quando ele estava internado no INCOR (Instituto do Coração em São Paulo ) naquele fatídico mês de abril de 1985. A assessoria de impressa da República queria provar que Tancredo estava bem e vivíssimo. Tancredo Neves seria o primeiro presidente civil depois dos 21 anos do Regime Militar. Mas, por ironia do destino, coube a morte levar este homem sem que realizasse o sonho de milhões de brasileiros que apostavam nele como uma espécie de salvador da pátria aquele que traria a de novo a democracia ao Brasil. 
     Naquele  21 de abril de 1985 Lívio, assim como milhões de brasileiros, estava de olhos vidrados na tevê, esperando novas informações sobre o estado de saúde de Tancredo Neves, internado desde março e que, em função da doença, não tomara posse na presidência. Em um certo momento de mais uma reportagem ao vivo, eis que é anunciada a morte de Tancredo de Almeida Neves. 



    Lívio não se espantara diante da notícia. De certa forma ficara feliz não pela morte — porque torcia para que Tancredo se recuperasse logo e assumisse a presidência que estava nas mão de José Sarney — mas porque enfim, comunicavam oficialmente que ele morrera. Para Lívio, Tancredo já estava morto há dias, apenas não comunicaram o fato, talvez por medo de que houvesse mais um golpe militar que poderia depor Sarney e retornar o tão temido Regime Militar . 
   Desde que a impressa divulgara uma foto desse grande estadista sentado ao lado de vários médicos do INCOR que começara a grande suspeita: o grande estadista mineiro parecia que já estava  morto.Na foto  A maioria dos médicos estava olhando com absoluta cara de paisagem para Tancredo. Do lado esquerdo,  um médico, com o braço atrás do sofá parecia segurar pelas costas o roupão de Tancredo para que o "defunto" permanecesse sentado e com o tronco ereto. Outro medico, á direita, segurava a mão do estadista doente com, pelo que se podia verificar na foto, uma certa força.O dede polegar de Tancredo   deveria naturalmente estar em contato com a mão  do médico como se estivesse teso e sem  nenhuma conexão com o corpo. Olhou mais uma vez a foto. Há 27 anos inspecionava aquela imagem sempre com olhar de investigador. Durante todo esse tampo a conclusão era mesma: naquela foto o grande estadista já estava morto. Desejava provar isso para os brasileiros e principalmente para jornalistas. Sem dívida seria uma notícia bombástica.
     Pegou a valise e saiu de fininho de casa. Não queria que ninguém da família visse ou soubesse aonde iria. Este ano teria a primeira fase da resposta de que tanto esperava. Seria o primeiro passo para a grande investigação jornalística de sua vida: provar que naquela foto havia uma homérica fraude.
     Quase duas horas de viagem. Estava ansiosíssimo. Nem quando casara, nem quando esperava o nascimento dos filhos ficara tão ansioso quanto estava naquele momento. Enfim achou a casa da Mãe Querida de Oxum. Mesmo sendo agnóstico decidira usar os serviços dessa vidente paranormal. Diziam que era uma autoridade em desvendar fatos do passado e dom futuro. Juntara durante anos o dinheiro a que pagaria àquela mulher para que desse uma pista plausível para elucidar a grande suspeita.
    A casa da vidente era confortável e exótica. Um forte cheiro de alfazema dominava o ambiente. Uma moça o conduziu á sala de consulta. Lá estava a vidente metida em um amplo vestido branco com detalhes vermelhos. O recebeu estalando os dedos em direção dele. Lívio não entendeu as primeiras palavras dela. Sentou na cadeira em frente à vidente e foi direto ao assunto: 
     —Minha senhora, a anos que eu tenho uma dúvida cruel...
     E a vidente: 
    — Não existem dúvidas que dure para sempre, meu filho!. Chegou a hora de esclarecer tudo e você voltar a ser feliz — disse a vidente como se ela tivesse certeza que se tratava de algum problema íntimo de Lívio.  
     —Obrigado! É que eu tenho uma dúvida que já dura vinte e sete anos  Lívio contou minunciosamente a história para a vidente que não pestanejou e foi logo afirmando:
     — Ele foi morto! Meu filho! Ele foi morto!
     — Como assim? Mataram ele?
    — Isso não ainda bem claro — disse a vidente meio confusa.
     — Bem... e? 
    Ela pensativa: — Ele já tinha morrido há uns três ou quatro dias... é isso. É ... isso!
    —Sim? —É. Morreu de doença... mas não naquele dia da foto. O velho já tava era mortinho, mortinho! Os Povo chegado dele estava era escondendo as coisas.
    Um frisson colossal invadia a alma de Lívio. Nem quis saber o que a vidente ainda tinha a dizer. Coração aceleradíssimo. A evidência clara, mesmo que por uma vidente: Tancredo não estava vivo naquela foto! Resolveu fazer outra pergunta a ela:
    —E quanto a Osama Bin Laden... Ele ... quero dizer: mataram mesmo? Eu acho que ele não foi morto e os soldados levaram ele para os... 
     E ela: — Oh! Meu filho aí já é outros quinhentos! Ou seja, outra consulta! — Mas não dá para senhora quebrar um galho não? 
     E  ela rindo:
     —Meu filho, quem quebra galho é macaco gordo! 
    Ele então pagou os mil e quinhentos reais da consulta e saiu feliz  e gritando:
     _ Realmente! Tancredo já estava morto! 


 Vald Ribeiro

10 comentários:

Carlinhos,  23 de abril de 2012 08:20  

Gostei da observação. nunca tinha pensada na possibilidade de que Tacredo já estivesse morto nesta foto. é uma consideração lógica.

Anônimo,  23 de abril de 2012 20:42  

NOSSA! AMEI SUA CRÔNICA! HÁ UMA GRANDE POSSIBILIDADE DE QUE ESTA SUA SUPOSIÇÃO SEJA REAL.PORQUE ERA NECESSÁRIO PRESERVAR A DEMOCRACIA QUE ESTAVA NASCENDO NO BRASIL.

Edmeire Santana,  29 de abril de 2012 19:44  

Sr.Vald, Sua crônica preenche uma dívida
de mais de vinte anos. Acho que o Sr. tem razão. Na foto o Tancredo Neves não tem aparência de vivo.
Parabéns.

sergio salles 3 de junho de 2012 11:58  

nao concodo com esta tese ai na cronica.nao acredito que pessoas idoneas como os medicos do INCOR fariam uma coisa dessas. essa conica é apenas especulação como aquele livro "O código Da Vinci".

Marcos Piheiro,  8 de julho de 2012 18:51  

Acho que o autor tem razao..,importante atissar fogo nesta fogueira.

Camilla Crastrp,  11 de agosto de 2012 22:45  

Nunca tinha pensado nessa hipótese! Gostei! acho que essa é a função da literatura;fazer o leitor refletir.

orlando crastro fonseca pota grossa,  11 de novembro de 2012 18:10  

concordo com a ideia da crOnica

Josafá Souza Costa,  1 de abril de 2013 18:48  

Eu sempre gostei de politica e fui às ruas em Belo Horizonte pelas DIRETAS JÁ.
Tenho tanta certeza que a história de Tancredo Neves vem sendo escondida que um dia espero estar vivo para ouvir a versão verdadeira, que ele foi assassinado como a repótrer da Globo Glória Maria noticiou e logo em seguida foi tirada do ar e enviada para um País da Africa e por lá ficou uns vinte anos, bem como a questão da tal foto que dava pra perceber que era um defunto sentado e segurado pela equipe médica do Dr. Henrique Pinott, etc.
Nunca ví essa foto como de um Tancredo vivo e sim de um Tancredo morto desde o momento em que foi anunciado que havia levado um tiro em Brasília.
Parabenizo ao autor da matéria pela análise acurada e acertada. Àquela altura, Tancredo já era defunto e o povo brasileiro estava como sempre foi enganado de novo.

Anônimo,  18 de maio de 2014 01:39  

Tancredo Neves foi assassinado!
Me lembro bem desse dia em que foi anunciada a notícia (pela jornalista Glória Maria e que foi retirada do ar logo após falar sobre o assassinato) de que Tancredo levou um tiro.

Postar um comentário

.

Carregando...
EXPEDIENTE
Contato:
valdribeiro@folha.com.br

mais lidas do dia

arquivo

EXPEDIENTE

Contato:
valdribeiro@folha.com.br

  © Blogger template Webnolia by Ourblogtemplates.com 2009

Back to TOP